Ligue-se a nós
https://mundopetnews.com.br/wp-content/uploads/2023/05/Preparando-seu-Pet-para-a-Chegada-do-Bebe-Um-Guia-Completo-1920x453-1-1.png

Comportamento

Como lidar com a ansiedade de separação em cães

Publicado

no

A ansiedade de separação é um problema comum em cães e pode causar comportamentos destrutivos, como latidos excessivos e arranhões. Existem várias técnicas para ajudar a controlar a ansiedade de separação, incluindo treinamento de dessensibilização e terapia comportamental. É importante procurar ajuda profissional se o problema persistir.

Conheça três técnicas que podem ajudar a controlar a ansiedade de separação em cães:

Treinamento de separação gradual: Esta técnica envolve gradualmente acostumar o cachorro a períodos curtos de separação e, em seguida, aumentar gradualmente a duração ao longo do tempo. Comece deixando o cachorro sozinho por alguns minutos em um cômodo separado e, em seguida, volte e recompense-o por ficar calmo. Repita esse processo várias vezes ao dia, aumentando gradualmente a duração da separação. Isso ajuda a ensinar ao cachorro que a separação é temporária e que ele será recompensado por ficar calmo.

Enriquecimento ambiental: Forneça ao seu cachorro atividades e brinquedos que o mantenham ocupado e distraído durante a sua ausência. Isso pode incluir brinquedos recheáveis com petiscos, brinquedos de mastigação duráveis ou jogos de busca espalhados pela casa. Ao manter o cachorro ocupado, você ajuda a desviar o foco da ansiedade de separação e proporciona uma experiência mais positiva durante a ausência.

Reforço positivo: Associe a sua saída e retorno com algo positivo para o seu cachorro. Antes de sair, ofereça um petisco especial ou um brinquedo recheado para distraí-lo. Ao retornar, dê-lhe atenção e carinho,  recompensando-o por ficar calmo e tranquilo durante a sua ausência. Isso ajuda a criar uma associação positiva com a separação e diminui a ansiedade.

É importante lembrar que cada cão é único e pode responder de maneira diferente a diferentes técnicas. Se a ansiedade de separação do seu cachorro for severa ou persistente, é recomendado buscar orientação de um veterinário comportamentalista ou treinador profissional para desenvolver um plano de tratamento individualizado.

Continuar Lendo
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comportamento

Como acostumar um gato com um cachorro?

Publicado

no

Por

como-acostumar-um-gato-com-um-cachorro

Como acostumar um gato com um cachorro?

Introduzir um novo cachorro em uma casa onde já vive um gato pode ser um desafio. Os gatos são animais territoriais e podem ficar estressados ou assustados com a presença de um novo membro canino. No entanto, com paciência e estratégias adequadas, é possível acostumar o gato com o cachorro e promover uma convivência harmoniosa entre os dois. Neste artigo, forneceremos dicas úteis para ajudar você nesse processo.

Introdução gradual

A introdução gradual é essencial para acostumar um gato com um cachorro. Inicialmente, mantenha o gato e o cachorro separados em cômodos diferentes, permitindo que eles se familiarizem com o cheiro um do outro. Utilize uma técnica conhecida como “troca de cheiros”, na qual você esfrega um pano no gato e o coloca próximo ao cachorro, e vice-versa. Isso ajudará a reduzir a estranheza e a familiarizar os animais com o odor do outro. À medida que eles se acostumam com o cheiro, comece a realizar encontros supervisionados em um ambiente neutro, como um cômodo desconhecido ou um quintal cercado.

Durante esses encontros, mantenha a interação inicial curta e positiva. Observe atentamente as reações de ambos os animais e intervenha se necessário. Caso algum dos animais mostre sinais de estresse ou agressividade, afaste-os suavemente e tente novamente em outro momento. Gradualmente, aumente a duração dos encontros, permitindo que o gato e o cachorro se aproximem um do outro e interajam de forma tranquila.

Espaços seguros para o gato

Certifique-se de que o gato tenha espaços seguros para se refugiar e se esconder quando se sentir desconfortável com a presença do cachorro. Isso pode incluir prateleiras altas, caixas ou quartos separados. Garanta que o gato sempre tenha acesso a esses espaços, onde ele se sentirá seguro e protegido. Além disso, certifique-se de que o cachorro não tenha acesso irrestrito aos espaços do gato, como a caixa de areia ou a área onde ele se alimenta. Isso ajudará a evitar conflitos e permitirá que o gato se sinta mais confiante em sua própria área.

Ao mesmo tempo, ofereça ao cachorro espaços próprios onde ele possa se sentir confortável e seguro. Isso pode incluir uma cama ou uma área designada para ele descansar. Dessa forma, o cachorro terá seu próprio espaço para relaxar, o que reduzirá a ansiedade e promoverá uma convivência mais tranquila com o gato.

Supervisão e interações controladas

Inicialmente, as interações entre o gato e o cachorro devem ser supervisionadas e controladas. Utilize uma coleira e guia para o cachorro e mantenha-o na guia durante as primeiras interações. Observe atentamente as reações de ambos os animais e intervenha se necessário. Lembre-se de que a segurança é fundamental. Caso os animais mostrem sinais de tensão, como rosnados, arrepios ou agitação, afaste-os suavemente e tente novamente mais tarde.

Durante as interações, use comandos verbais e recompense comportamentos calmos e amigáveis. Elogie e recompense tanto o gato quanto o cachorro sempre que eles demonstrarem interesse mútuo sem agressividade. Esses momentos de interação positiva ajudarão a criar uma associação agradável entre os dois animais. Gradualmente, à medida que a confiança aumenta, você pode permitir que o cachorro fique solto, mas sempre supervisionando para garantir uma interação tranquila.

Reforço positivo

O reforço positivo desempenha um papel crucial. Recompense e elogie os animais sempre que eles interagirem de forma tranquila e respeitosa. Use petiscos e carinho para reforçar comportamentos desejados, como o gato se aproximar do cachorro sem demonstrar medo ou o cachorro se comportar de maneira calma perto do gato. Isso ajudará a criar uma associação positiva entre os dois animais e promoverá uma relação amigável.

Além disso, lembre-se de que a paciência é essencial durante todo o processo. Acostumar um gato e um cachorro pode levar tempo e exigir persistência. Cada animal tem seu próprio ritmo de adaptação, e forçar a interação pode piorar a situação. Esteja preparado para um processo gradual e respeite o tempo que o gato precisa para se ajustar à presença do cachorro. Com o tempo, muitos gatos e cachorros acabam se tornando grandes amigos.

Conclusão

Acostumar um gato com um cachorro requer cuidado, paciência e estratégias adequadas. Com a introdução gradual, a criação de espaços seguros para o gato, supervisão e interações controladas, reforço positivo e tempo, é possível promover uma convivência harmoniosa entre os dois animais. Lembre-se sempre de respeitar as necessidades individuais de cada animal e buscar orientação profissional, se necessário.

Gostou desse artigo do Mundo Pet News? Então segue a gente nas redes sociais!

Entre em contato com nossa equipe pelo Direct do Instagram ou Messenger do Facebook para enviar suas dicas e sugestões de novas publicações.

Continuar Lendo

Comportamento

Por que meu cachorro dorme com os olhos abertos?

Publicado

no

Por

por-que-meu-cachorro-dorme-com-os-olhos-abertos

Por que meu cachorro dorme com os olhos abertos?

Seu cachorro dorme de olhos abertos? Aqui está o que você precisa saber.

Adoro ver meu cachorro dormir. Ele parece tão tranquilo e adorável quando se aninha na cama e ronca baixinho. Mas às vezes fico assustado quando vejo que seus olhos não estão totalmente fechados. Isso me faz pensar se ele está realmente dormindo ou olhando para algo que não consigo ver. Isso já aconteceu com seu animal de estimação?

Felizmente, é completamente normal que os cães durmam com os olhos abertos e por alguns motivos intrigantes. Mas também existem algumas razões médicas que você deve saber. Abordarei as causas comuns e informarei o que procurar. Leia para saber mais!

Razões pelas quais os cães dormem com os olhos abertos:

Alguns são naturais e inofensivos, enquanto outros podem indicar um problema de saúde que requer atenção.

Proteção contra predadores

Uma das razões mais comuns pelas quais os cães dormem com os olhos abertos é porque faz parte de seu instinto natural se proteger dos predadores. Os cães evoluíram para manter os olhos parcialmente abertos para enxergar melhor quando acordam. Isso os ajuda a ficar alertas e prontos para reagir a possíveis ameaças em seu ambiente.

Para cães com um forte impulso de presa ou instinto de caça, como galgos, terriers ou cães de caça, isso é especialmente verdadeiro. Esses cães são mais propensos a mostrar pelo menos um pouco do olho durante o sono, porque estão sempre procurando presas ou perigos.

Terceira pálpebra

Você sabia que os cães têm uma terceira pálpebra? Esta é outra razão comum pela qual esses animais dormem com os olhos abertos. A terceira pálpebra é uma membrana fina que cobre os olhos e os protege de sujeira, poeira e bactérias. Também é conhecida como membrana nictitante.

Às vezes, enquanto descansa, a terceira pálpebra de um cachorro cobre parcialmente os olhos. Não há nada de errado com isso e beneficia a saúde e a hidratação dos olhos.

A visibilidade da membrana pode variar dependendo se eles estão acordados ou dormindo.

Quando os cães estão acordados e olhando ativamente ao redor, sua terceira pálpebra tende a ficar mais escondida à medida que o globo ocular é posicionado para frente.

Quando os cães estão dormindo e seu globo ocular está relaxado e posicionado para trás, a membrana fica mais exposta e perceptível.

Isso explica por que a terceira pálpebra costuma ser mais visível quando os cães estão dormindo do que acordados.

Sonhar

Os cães também dormem com os olhos abertos porque estão sonhando. Eles sonham no sono REM (movimento rápido dos olhos), assim como os humanos. É quando eles processam suas memórias e emoções e têm sonhos vívidos.

Durante o sono REM, os olhos de um cão podem se mover ou se abrir ligeiramente enquanto eles sonham. Não há nada com que se preocupar, e isso indica que seu animal de estimação está dormindo bem.

Você pode notar que os olhos se movem mais rápido ou mais devagar, dependendo do que seu cão está sonhando. Por exemplo, se ele está perseguindo uma borboleta ou brincando de buscar em seu sonho, seus olhos podem se contrair mais rápido. Se ele está abraçado com você ou relaxando no sofá em sua mente, seus olhos podem se mover mais devagar.

Olho de Cereja

Olho de cereja é uma condição em que a glândula da terceira pálpebra prolapsa ou sai de sua posição normal. Faz com que uma massa vermelha e inchada apareça no canto do olho. Pode afetar um ou ambos os olhos e provavelmente prejudicaria a visão e o conforto do seu cão.

Se o seu cão tem olhos cereja, você pode notar que seus olhos estão sempre parcialmente abertos, mesmo quando acordado. Você também pode ver que seus olhos estão lacrimejantes, irritados ou infectados.

Esta condição não é normal e requer atenção veterinária. Seu veterinário pode prescrever medicamentos para reduzir a inflamação e infecção da glândula ou recomendar uma cirurgia para reposicioná-la ou removê-la.

Lagoftalmo

O lagoftalmo é uma condição em que os cães não conseguem fechar totalmente as pálpebras devido a um problema nervoso ou muscular. Isso faz com que os olhos permaneçam parcialmente abertos mesmo quando o cachorro está dormindo. Essa condição pode causar ressecamento, irritação, infecção ou lesões nos olhos.

Uma visita à clínica veterinária é necessária se houver suspeita de lagoftalmo. Seu veterinário pode prescrever lágrimas artificiais para lubrificar os olhos do seu cão. Ou ele pode recomendar uma cirurgia para corrigir o problema nervoso ou muscular.

Se o seu cão tem lagoftalmo, você pode notar que seus olhos estão sempre parcialmente abertos, mesmo quando acordado. Você também pode notar que eles estão vermelhos, com crostas ou ulcerados.

Narcolepsia

A narcolepsia é uma doença rara em que um cão adormece repentinamente e de forma incontrolável durante o dia. Esse distúrbio pode afetar a qualidade de vida e a segurança de um cão e requer atenção veterinária.

Nesse caso, seu veterinário pode prescrever medicamentos para regular o ciclo de sono do seu cão ou recomendar mudanças no estilo de vida para ajudá-lo a ficar acordado e alerta.

Esse distúrbio pode fazer com que seu cão adormeça com os olhos abertos porque não consegue fechá-los a tempo. Você pode perceber que seu cão dorme em horários ou lugares incomuns, como brincar ou comer.

Cães idosos podem dormir com os olhos abertos devido a alterações na saúde ocular. Ajude-os com uma cama confortável, quarto escuro e companhia.

Velhice

A velhice é outra razão pela qual os cães dormem com os olhos abertos. À medida que os cães envelhecem, eles podem apresentar alterações na saúde e função ocular, como:

Perda de gordura corporal: Cães idosos podem perder alguma gordura corporal, o que pode afetar a posição do globo ocular. Seus globos oculares podem afundar nas órbitas, tornando mais difícil fechar completamente as pálpebras.

Perda de visão: cães idosos podem sofrer de perda de visão devido a catarata, glaucoma ou degeneração da retina. Essas condições prejudicam a visão e os tornam menos conscientes de seus arredores. Como eles não precisam confiar tanto na visão quanto antes, eles podem dormir com os olhos abertos.

Cegueira: é lógico que a cegueira (parcial ou completamente) afeta a qualidade e o comportamento do sono. Os cães dormem com os olhos abertos porque não conseguem ver nada, ou porque estão mais atentos a outras pistas sensoriais (como sons ou cheiros).

Os olhos do seu cão parecem vermelhos? Há sinais de descarga ou nebulosidade? Nesse caso, seria uma boa ideia levá-los ao veterinário para um exame oftalmológico. Seu veterinário pode ajudá-lo a determinar a causa e fornecer os cuidados adequados.

Como ajudar um cachorro com problemas de visão

Cães de todas as idades apreciam nosso amor e conforto, especialmente quando passam por problemas de saúde. Aqui estão três maneiras simples de ajudar um cão com problemas de visão a se sentir mais seguro e protegido:

Manter o quarto escuro e silencioso: Cães com dificuldades de visão podem dormir melhor em um quarto escuro e silencioso com menos distrações ou distúrbios. Você também pode usar cortinas ou persianas para bloquear fontes de luz que possam incomodar seus olhos.

Fornecer uma cama aconchegante: cães mais velhos precisam de um pouco mais de conforto em geral. Seu filhote pode gostar de uma cama macia e quente que apoie suas articulações e músculos. Você pode adicionar cobertores ou travesseiros para deixá-lo ainda mais confortável.

Dando-lhe companhia: o companheirismo faz com que a maioria dos cães se sinta mais seguro e relaxado. Por que não deixá-lo dormir mais perto de você ou de outro familiar? Ou outro animal de estimação que ele goste? Você também pode oferecer brinquedos ou guloseimas para mantê-lo entretido e feliz.

Conclusão

Eu sei que pode parecer assustador testemunhar seu cachorro dormindo com os olhos abertos. Mas depois de aprender mais sobre esse fenômeno, você verá que geralmente não há nada com que se preocupar. A maioria dos cães mantém um olhar atento para se proteger instintivamente dos predadores. Ou porque estão sonhando em perseguir esquilos ou brincar de buscar. Contanto que seus olhos pareçam saudáveis ​​e ajam normalmente quando acordados, não há motivo para pânico.

Mas se algo parecer errado, leve-o ao veterinário para um check-up. Lembre-se de que os olhos do seu cão são preciosos e precisam de cuidados e atenção adequados. Ao ficar de olho nos olhos do seu cão (trocadilho intencional), você pode garantir que ele durma profundamente e confortavelmente todas as noites.

Gostou desse artigo do Mundo Pet News? Então segue a gente nas redes sociais!

Entre em contato com nossa equipe pelo Direct do Instagram ou Messenger do Facebook para enviar suas dicas e sugestões de novas publicações.

Continuar Lendo

Comportamento

Como ensinar o seu cachorro a vir quando chamado

Publicado

no

Por

Ensinar o seu cachorro a vir quando chamado é uma habilidade importante e pode ajudar a mantê-lo seguro em situações perigosas, como quando ele está próximo a uma estrada movimentada. Comece treinando em ambientes calmos e sem distrações, recompense o seu cachorro por vir quando chamado e aumente gradualmente a dificuldade do treinamento.

Ensinar o cachorro a vir quando chamado é uma habilidade fundamental para garantir sua segurança e o controle em diferentes situações. Veja cinco exemplos de como ensinar essa habilidade:

Reforço positivo: Use o reforço positivo para incentivar o cachorro a vir quando chamado. Comece em um ambiente calmo e livre de distrações. Chame o cachorro pelo nome seguido de um comando, como “vem” ou “aqui”, e ofereça um petisco ou elogio assim que ele se aproximar. Repita esse exercício regularmente, aumentando gradualmente as distrações e recompensando o comportamento desejado.

Treine em ambientes diferentes: À medida que o cachorro se familiariza com o comando “vem” em ambientes controlados, comece a praticar em diferentes locais, com níveis crescentes de distrações. Comece em um local cercado ou com poucas distrações e, gradualmente, passe para áreas mais desafiadoras, como um parque ou rua movimentada. Reforce o comportamento correto em cada ambiente e recompense o cachorro quando ele
responder ao comando.

Use uma guia longa: No início do treinamento, quando estiver em um local mais aberto, use uma guia longa para garantir a segurança e o controle do cachorro. Chame-o pelo nome seguido do comando “vem” e, se necessário, dê um leve puxão na guia para encorajá-lo a se aproximar. Reforce o comportamento correto e ofereça recompensas quando ele responder prontamente.

Evite punições: Evite punições ou repreensões quando o cachorro demorar para vir. Em vez disso, concentre-se no reforço positivo e na recompensa quando ele obedecer ao comando. O uso de punições pode criar medo e ansiedade, o que pode interferir no processo de treinamento e no vínculo entre você e o cachorro.

Pratique o treinamento regularmente: O treinamento para vir quando chamado requer prática regular para se tornar consistente. Reserve tempo diariamente para treinar essa habilidade com seu cachorro, mesmo após ele já estar respondendo bem ao comando. Reforçar regularmente o comportamento e oferecer recompensas ajudará a consolidar o treinamento.

Lembre-se de que cada cachorro é único e pode levar tempo e paciência para aprender o comando “vem” de forma consistente. Mantenha as sessões de treinamento curtas, divertidas e positivas, e adapte o método de treinamento às necessidades do seu cachorro. Se necessário, busque a orientação de um treinador de cães profissional para ajudar nesse processo.

Continuar Lendo

Trending